Direto de Brasília

DECLARAÇÕES E ENTREVISTA DE JOESLEY BATISTA NÃO CONVENCEM. TEMER ENTRA HOJE COM AÇÕES CRIMINAIS CONTRA O EMPRESÁRIO.

Meus caros leitores, não dá para entrar nesta maratona para ver quem consegue avançar com propostas que, evidentemente eivadas de ilegalidades, imperfeições e malandragens,  objetivem atropelar as leis e o processo democrático. A situação do Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, machucado pela frustração de ego, começa a beirar os limites da legalidade. Pior é que foi arrastando àqueles que entraram na sua versão. A JBS entregou propina a políticos e muita publicidade a certos veículos de comunicação. Dinheiro público que ela ganhou fácil. Janot permitiu que bandidos fabricassem um flagrante que não se sustenta. E que espanta até ministros do STF. Agora, sabendo que aquela tentativa de criar condições para encurralar colegas e o Congresso Nacional, como se tentou com o TSE, e agora com Câmara, como se esta fosse obrigada a aceitar a abertura de inquérito para cassar o Presidente da República, busca outros meio. Com os integrantes deste grupo coberto pelo manto da dubiedade. Que já não convence. Joesley Batista retornou ao Brasil acuado que está pela aventura em que se meteu. Desnudado como um verdadeiro gângster que sustentou ilegalidades e transitou pela corrupção, a cada dia se enrasca mais. Está claro que precisa saldar seus débitos com a justiça e com o fisco. Que sua fortuna de crescimento vertiginoso e descomunal, sustentada por empréstimos subsidiados, dinheiro público, vai se esfumar em processo degenerativo.  D

epois de tudo o que declarou, mesmo com as manobras de Janot e de Fachin,não vai escapar da prisão. É isto que o assusta. Certas pessoas quando assustadas desesperam e cometem erros primários. Desculpem certos colegas, mas ajustar declarações do bandido para criar subsídios para sua defesa, mesmo que a custa de incriminações diversas, não dá certo. Apresentar ao público uma obra acabada, como uma delação dirigida, não se sustenta. Inocentar Lula e jogar a responsabilidade ao ex-ministro Guido Mantega, parece piada. Já feita quando se jogou sobre José Dirceu as culpas do Mensalão.Todos sabemos disso. Afirmar que Temer é líder de quadrilha, quando se sabe que ele sequer comandava o PMDB, uma ilha cercada de ilhotas independentes por todos os lados, é desdenhar de nossa inteligência. E o Sr. Janot, cujas idas e vindas o transformam em biruta de aeroporto, investindo capital criativo para derrubar o presidente, prender o senador Aécio e uma série de outras estripulias, não que eles não sejam culpados, mais confunde do que esclarece. E o que mais o Brasil precisa neste momento é de transparência. Com um mínimo de seriedade e compromisso com a ética, moral e honestidade. De todos. Direto de Brasília, José Woitechumas.

Comentários